FCA Brasil
  • A A A

Enviar por email:

Fiat e Inhotim: renovando a conexão entre “pessoas, arte e meio ambiente”

Fiat e Inhotim: renovando a conexão entre “pessoas, arte e meio ambiente”

segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Nova frota de modelos Argo, Cronos, Toro, Doblò e Strada celebram a Fiat como carro oficial do maior centro de artes ao ar livre da América Latina. E você, já conhece Inhotim?

O Instituto Inhotim, localizado no município de Brumadinho, região metropolitana de Belo Horizonte (MG), é considerado por muitos um dos museus de arte contemporânea mais preciosos do mundo. Nacionalismo à parte, pois o lugar é uma espécie de paraíso. E não estamos nos referindo apenas à qualidade das obras de arte contemporânea do acervo e das mostras temporárias. As próprias galerias já são obras de arte da arquitetura, rodeadas por cenários que são o amálgama perfeito entre natureza e paisagismo. Inhotim consegue a façanha de complementar perfeitamente as galerias que formam o museu e o jardim botânico em que estão inseridas, uma reforçando o melhor da proposta do outro. O resultado é que o lugar é um dos museus mais bem avaliados do mundo pelos visitantes, que já somam mais de 3 milhões.

Em 2014, ele figurou na seleta lista Travelers’ Choice dos 25 melhores museus do mundo de acordo com os usuários do site TripAdvisor. A sensação que se tem é de caminhar pelo paraíso e, a cada porta que se cruza, entrar noutra dimensão.

inhotim_galeria-adriana-varejao-01_foto-eduardo-eckenfels

O Inhotim tem localização privilegiada, não só por estar a apenas 60 Km de Belo Horizonte, mas por ocupar uma área de fronteira entre Mata Atlântica e Cerrado, dois dos biomas mais ricos do planeta em biodiversidade. Da área de 140 hectares destinada a visitação (melhor reservar dois ou três dias para ver com calma), 42 hectares são só de jardins! São sete jardins temáticos, que ajudam a preservar esses biomas, que estão ameaçados. Além dos jardins, há um Viveiro Educador (espaço para atividades de manutenção do acervo botânico, pesquisa científica, conservação e educação ambiental) e uma Reserva Particular de Patrimônio Natural (RPPN) com outros 249 hectares, que conectam a área do parque ao sul da Cadeia do Espinhaço. Para se ter uma ideia, o espaço total é maior que o Central Park de Nova York, ou o equivalente a quase 550 campos de futebol profissionais.

inhotim_visitantes_william-gomes-1016

A coleção do Jardim Botânico impressiona: são mais de 4,5 mil espécies de plantas de todos os continentes, a maior coleção do Brasil, incluindo tanto espécies nativas quanto exemplares raros e exóticos como uma flor-cadáver, a maior flor do mundo, nativa da Ásia e única na América Latina (que exala um perfume um tanto… particular quando floresce, daí seu nome). Por tudo isso, projetos de conservação da biodiversidade e combate aos efeitos das mudanças climáticas também são realizados no local.

inhotim_matthew-barney_de-lama-lamina_foto-pedro-motta

Como museu, o Inhotim tem a vantagem de poder abrigar obras de grandes dimensões, que não caberiam nos espaços das instituições tradicionais, além de ser o lugar perfeito para obras site specifics, ou seja, feitas especialmente para o local. A coleção permanente reúne cerca de 700 obras, dentre pinturas, esculturas, desenhos, fotografias, vídeos e instalações de cerca de 60 artistas de diferentes nacionalidades, expostas tanto nas 23 galerias quanto no próprio Jardim Botânico, ao ar livre.

inhotim_cildo-meireles_atraves_foto-daniela-paoliello

Quatro das galerias são dedicadas a exposições temporárias (com duração de dois anos) como a que foi inaugurada no último dia 6 de setembro com projetos dos artistas David Lamelas, Paul Pfeiffer, Robert Irwin e Yayoi Kusama, além de uma exposição dedicada a obras audiovisuais de mais oito artistas. As obras têm enfoque na percepção, no tempo e nas diferentes formas de produção audiovisual, tanto nacional quanto internacional. Muitas delas chegam ao Brasil pela primeira vez. Esta exposição é um prelúdio para importantes projetos de grande escala de Irwin e Kusama que serão inaugurados no local nos próximos anos, incluindo uma escultura de grande dimensão projetada por Irwin especialmente para o Inhotim. As exposições das galerias temporárias são renovadas periodicamente, sempre convidando os artistas a desenvolverem novos projetos com a equipe do museu, o que faz do Inhotim um espaço em constante transformação.

inhotim_galeria-claudia-andujar-_foto-william-gomes

As 19 galerias permanentes apresentam obras de Tunga, Cildo Meireles, Miguel Rio Branco, Hélio Oiticica & Neville d’Almeida, Adriana Varejão, Doris Salcedo, Victor Grippo, Matthew Barney, Rivane Neuenschwander, Valeska Soares, Doug Aitken, Marilá Dardot, Lygia Pape, Carlos Garaicoa, Carroll Dunham, Cristina Iglesias, William Kentridge e Claudia Andujar. Uma nova galeria permanente está em desenvolvimento, dedicada a Yayoi Kusama.

Para transitar entre as galerias, por meio de toda a natureza, o instituto dispõe de três rotas identificadas por cores. É um bom chão para caminhar e colocar a atividade física em dia, mas também dá para contratar carrinhos elétricos, por R$ 30 a diária individual.

Aliás, por falar em carros, precisamos dizer a você que a Fiat é, com muito orgulho, o carro oficial do Inhotim! Firmada em 2013, essa parceria acaba de ser renovada com uma nova frota de 12 veículos dos modelos Argo, Cronos, Toro, Doblò e Strada.

inhotim_foto-leo-lara_mg_6428

“É um orgulho para a Fiat ser o carro oficial do Inhotim, um espaço único no mundo que conecta pessoas, arte e meio ambiente”, afirmou na ocasião da entrega dos veículos o presidente da FCA para a América Latina, Antonio Filosa (foto). “Nos anos de 1970, fomos a primeira montadora a instalar-se fora do cinturão paulista e aqui construímos o segundo maior polo automotivo da América Latina. Inhotim fez o mesmo movimento nos anos 2000, apostando na criação de um museu fora de um centro urbano, com uma significativa coleção de arte contemporânea, reconhecida internacionalmente”, comparou.

“A Fiat sempre foi uma grande parceira do Inhotim, contribuindo para o crescimento e o reconhecimento da instituição como um museu referência no Brasil e no mundo. Ficamos muito felizes e honrados em renovar essa parceria. Partilhamos o compromisso de colaborar com o desenvolvimento de Minas e seguimos juntos rumo a um futuro ainda mais promissor”, declarou o diretor executivo do Inhotim, Antonio Grassi.

inhotim_foto-leo-lara_mg_6310

O Inhotim é uma Oscip (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público), uma entidade privada sem fins lucrativos, mantida com recursos e doações amparadas na Lei Federal e Estadual de Incentivo à Cultura. Além de museu, jardim botânico e espaço de pesquisas, o lugar também realiza projetos socioeducativos com participação de professores e alunos das redes pública e privada, atendendo anualmente cerca de 50 mil pessoas da comunidade escolar com uma metodologia inovadora e transdisciplinar que explora toda a riqueza natural e artística do instituto em prol da formação de um modelo de vida sustentável.

inhotim_visitantes_william-gomes-1037

Mais da metade dos visitantes do Inhotim entra gratuitamente, seja por meio dos projetos socioeducativos ou nas quartas-feiras, quando não é cobrada a entrada (exceto em feriados). Nos outros dias, o ingresso custa R$ 44. Estudantes identificados, maiores de 60 anos e parceiros têm direito a meia-entrada e crianças de até cinco anos não pagam. O museu funciona de terça a domingo, das 9h30 às 16h30 (17h30 nos fins de semana e feriados).

Para chegar ao Inhotim, deve-se pegar o acesso no Km 500 da BR-381 (sentido BH-SP) ou na BR-040 (sentido BH-RJ), próximo à entrada para o Retiro do Chalé. Há ainda transfers e ônibus de Belo Horizonte ou Brumadinho para o museu. No site há mais informações sobre como chegar. Aproveite a visita para tirar belas fotos como as que você viu nesta reportagem. Você tem boas chances do Inhotim curtir sua foto e compartilhar no Instagram oficial do museu! 😉

 

Compartilhar

Comentários

Posts mais lidos